spacer
 
Advanced Search
Astrobiology Magazine Facebook  Astrobiology Magazine Twitter
  
Retrospections Portuguese Translations Procurando por Alienígenas nos Planetas do Kepler
 
Procurando por Alienígenas nos Planetas do Kepler
Fonte: publicação da imprensa da Universidade da Califórnia, em Berkeley, EUA.
print PDF
Alien Life
Posted:   05/17/11
Author:    Tradutor: Bruno Martini

Summary: Até então, o telescópio espacial Kepler da NASA já identificou 1.235 possíveis planetas extrassolares. Agora astrônomos estão apontando um radiotelescópio para aqueles mais parecidos com a Terra para ver se detectam civilizações avançadas que poderiam chamar estes planetas de lar.


O Telescópio Robert C. Byrd Green Bank em West Virginia, EUA, o maior radiotelescópio manobrável do mundo, está observando 86 sistemas planetários que podem conter planetas semelhantes à Terra na esperança de detectar sinais de civilizações inteligentes.
Crédito: NRAO
Agora que o telescópio espacial Kepler da NASA já identificou 1.235 possíveis planetas ao redor de estrelas em nossa galáxia, astrônomos da University of California (Universidade da Califórnia), em Berkeley, EUA, estão apontando um radiotelescópio para os mais parecidos com a Terra destes planetas para ver se detectam sinais de uma civilização avançada.

A procura começou no sábado, dia 08 de maio de 2011, quando o Telescópio Robert C. Byrd Green Bank – o maior radiotelescópio manobrável do mundo – dedicou uma hora a oito estrelas com possíveis planetas. Uma vez que astrônomos da UC Berkeley adquirirem 24 horas de dados em um total de 86 planetas semelhantes à Terra, eles iniciarão uma análise grosseira e então, em cerca de duas semanas, solicitarão a ajuda de um milhão de usuários do SETI@home para conduzir uma análise mais detalhada nos seus computadores pessoais.

“Não é absolutamente certo que todas estas estrelas possuem sistemas planetários habitáveis, mas eles são lugares muito bons para se procurar por ETs”, disse o estudante de pós-graduação da UC Berkeley, Andrew Siemion.

O telescópio de Green Bank irá observar por aproximadamente cinco minutos as estrelas examinadas pelo Kepler que possuem um planeta candidato na zona habitável de sua estrela – isto é, o planeta possui uma temperatura na superfície na qual poderia ser mantida água líquida.

“Nós escolhemos os planetas com temperaturas ideiais – entre 0 e 100 graus Celsius – porque eles são muito mais propensos a abrigar vida”, disse o físico Dan Werthimer, cientista-chefe do SETI@home e um pesquisador veterano do SETI.

Werthimer lidera um projeto do SETI de 30 anos no maior radiotelescópio do mundo, o receptor Arecibo em Porto Rico, que alimenta o SETI@home com dados para uma nálise detalhada que só poderia ser feita no computador mais amplamente distribuído do mundo. Ele esteve envolvido em um projeto anterior do SETI com o prévio telescópio de Green Bank, que colapsou por falha estrutural em 1988, assim como com o Allen Telescope Array (Agrupamento de Telescópios Allen) – ATA, que também conduziu uma ampla busca por sinais inteligentes do espaço, conduzida pelo SETI Institute (Instituto SETI) de Mountain View, Califórnia, EUA. O ATA foi colocado em modo de hibernação em abril de 2011, depois que o Instituto SETI e a UC Berkeley ficaram sem dinheiro para operá-lo.

O levantamento da UC Berkeley irá focar os mais semelhantes à Terra dos 1.235 Objetos de Interesse do Kepler. Em azul planetas do tamanho da Terra, em verde super-Terras com 1,25 a 2 vezes o tamanho da Terra, em laranja os do tamanho de Netuno com 2 a 6 vezes o tamanho da Terra e em rosa os planetas-gigantes com 6 a 22 vezes o tamanho da Terra.
Crédito: NASA/Ames Research Center, W.Stenzel
“Com o Arecibo, nós focamos em estrelas como o nosso Sol, na esperança de que elas tenham planetas ao seu redor que emitam sinais inteligentes”, Werthimer disse. “Mas nós nunca tínhamos tido uma lista de planetas como esta antes”.

A antena de rádio na área rural do estado de West Virginia, EUA foi necessária para a nova pesquisa porque a antena de Arecibo não apontar para a área do céu ao norte na qual o Kepler se foca. Mas o telescópio de Green Bank também oferece vantagens em relação ao de Arecibo. As observações do SETI UC Berkeley superam as outras observações astronômicas do Arecibo, limitadas pela faixa de comprimentos de onda que ele pode observar, que se centra em 21 centímetros (1420 MHz), linha onde o hidrogênio emite luz. Estes comprimentos de onda passam facilmente através das nuvens de poeira que tanto obscurecem a galáxia.

“Procurar por ETs na linha de 21 centímetros funciona se as civilizações estiverem transmitindo intencionalmente, mas e se os planetas estiverem transmitindo sinais como “Eu amo a Lucy”?”, disse Werthimer. “Com o novo gravador de dados do telescópio de Green Bank, nós podemos varrer uma faixa de 800 megahertz de freqüências simultâneas, o que é 300 vezes o alcance que podemos conseguir no Arecibo”.

Assim, um dia no telescópio de Green Bank fornece tantos dados quanto um ano de observações em Arecibo: aproximadamente 60 terabytes (60.000 gigabytes) em todos, afirmou Siemion. Se eles gravassem um pedaço similar do espectro de rádio de Arecibo, o SETI@home seria sobrecarregado com dados, uma vez que a inspeção do céu pelo Arecibo opera praticamente por tempo integral, anos a fio.

“Também é ótimo que nós vamos focar completamente as medições nos lugares com água, pontos canônicos para procurar por sinais intencionais de civilizações inteligentes” disse Siemoin.

O Telescópio Robert C. Byrd Green Bank em West Virginia foi escolhido para o estudo porque o a antena de Arecibo não pode observar a área a norte do céu na qual o Kepler foca.
Crédito da Imagem: NAIC – Observatório de Arecibo, David Parker / Science Photo Library.
As 86 estrelas foram escolhidas de 1.235 sistemas planetários candidatos – chamados de objetos de interesse do Kepler, ou OIK – com a ajuda do membro da equipe do Kepler, Geoffrey Marcy, professor de astronomia da UC Berkeley. Os alvos da UC Berkeley incluem os 54 OIKs identificados pela equipe do Kepler como estando na faixa de temperatura habitável e com tamanhos variando de igual à Terra a maiores que Júpiter; 10 OIKs fora da lista de habitáveis da equipe do Kepler, mas com órbitas menos de três vezes a da Terra e períodos orbitais maiores que 50 dias; e todos os sistemas com quatro ou mais possíveis planetas.

Depois do telescópio de Green Bank ter Kepler focado cada estrela, ele varrerá completamente o campo do Kepler por sinais de planetas distintos dos 86 alvos.

Uma análise mais grosseira dos dados por Werthimer e sua equipe será seguida por uma mais aprofundada por usuários do SET@home, que serão capazes de se eles estão analisando dados do Green Brank, em oposição aos dados do Arecibo. A análise completa por sinais de inteligência pode demorar um ano, disse Werthimer.

“Se você extrapolar os dados do Kepler, devem haver 50 bilhões de planetas na galáxia”, ele diz. “É realmente empolgante ser capaz de olhar para esta primeira porção de planetas semelhantes à Terra.”

This article was originally published in English.


Related Stories

Astrobiology Roadmap Goal 1: Habitable planets
SETI@Home

Gleise's Hints of Habitability
Extraterrestrial DJs: spinning tunes for the stars
Searching for Alien Life? Try Failed Stars
SETI Redux: Joining the Galactic Club
The Eerie Silence
About Us
Contact Us
Links
Sitemap
Podcast Rss Feed
Daily News Story RSS Feed
Latest News Story RSS Feed
Learn more about RSS
Chief Editor & Executive Producer: Helen Matsos
Copyright © 2014, Astrobio.net