A Física dos Círculos em Plantações

Círculos em plantações

Na edição deste mês de Physics World, Richard Taylor, diretor do Materials Science Institute (Instituto de Ciência de Materiais) na Oregon University (Universidade do Oregon), Observou séria e objetivamente um tópico que críticos reivindicam ser além do conhecimento científico – círculos em plantações.

Enquanto o fenômeno global dos círculos em plantações cresce junto com a ciência e tecnologia, Taylor nota como a física e a arte podem se unir para produzir padrões de círculos em plantações mais espetaculares e impressionantes que continuam a manter seu mistério.

Atualmente os desenhos de círculos em plantações são mais complexos do que nunca, com alguns apresentando até 2.000 formatos diferentes. Análises matemáticas revelaram o uso de linhas de construção, invisíveis aos olhos, que são utilizadas para projetar os padrões, embora como exatamente eles sejam feitos permaneça uma questão em aberto.

De acordo com Taylor, a física poderia ter a resposta, com artistas dos círculos em plantações possivelmente utilizando o Sistema de Posicionamento Global (GPS), assim como lasers e microondas para criar seus padrões, dispensando a corda, tábuas de madeira e assentos de bancos que tradicionalmente foram usados.

Microondas, Taylor sugere, poderiam ser usadas para fazerem os caules das plantas cresceram na posição horizontal – uma técnica que poderia explicar a velocidade e eficiência dos artistas e os incríveis detalhes em alguns dos círculos exibidos.

Círculos em plantações observados na Suíça. Crédito: Wikipedia (Jabberocky)

De fato, uma equipe de pesquisa reivindica ser capaz de reproduzir o intrincado dano infringido às culturas usando um magnetron de mão, prontamente disponível a partir de fornos de microondas e uma bateria de 12 V.

Como Taylor escreveu, “Artistas de círculos de plantações não irão abrir mão dos seus segredos facilmente. Neste verão, artistas desconhecidos irão se aventurar no campo perto de suas casas e realizar seu ofício, seguros no conhecimento de que eles continuam o legado do movimento artístico mais cientificamente orientado da história”.

Matin Durrani, editor da Physics World diz “Pode parecer estranho para um físico como Taylor estudar círculos em plantações, mas ele está meramente tentando agir como um bom cientista – examinando as evidências para o projeto e construção de círculos em plantações sem ser deixado levar por OVNIs, fraudes e alienígenas”.

This story was originally published in English.

Publication of press-releases or other out-sourced content does not signify endorsement or affiliation of any kind.