A Proposta de Orçamento de 2014 “Escolhas Difíceis” da NASA Inclui a Captura de um Asteroide

 

Gráfico do Requerimento de Orçamento da NASA de 2014. Clique para uma versão maior. Crédito: NASA

A NASA liberou sua proposta orçamentária para 2014 e ela inclui financiamento para o trabalho preliminar de começar uma missão para capturar um asteroide trazê-lo para a órbita lunar.

Isto é parte do plano de gastos de 3,77 trilhões de dólares do Presidente Obama para o orçamento dos EUA e o ano fiscal de 2014 requisita para a NASA um total de 17,7 bilhões. Isto é 50 milhões a menos que o requerido para 2013 e a NASA disse que eles tiveram de fazer “escolhas difíceis” para finalizar a proposta.

A nova proposta parece atingir o programa de Ciências Planetárias de forma especialmente dura (sem novas missões para outros planetas e luas, ao que parece), mas inclui dinheiro para a produção de Plutônio-238 e financiamento adicional para detecção de asteroides. Porém, ambos os empreendimentos agora ficam sozinhos no orçamento das Ciências Planetárias.

“Este orçamento foca em uma nova ambiciosa missão para expandir as capacidades dos EUA no espaço, um progresso constante em novas tecnologias espaciais e aeronáuticas, sucesso continuado com parcerias espaciais comerciais e programas científicos de longo alcance para nos ajudar a entender a Terra e o universo em que vivemos”, disse o administrador da NASA Charlie Bolden em um pronunciamento. “Isto nos mantêm competitivos, abre portas para novas destinações e aumenta vastamente nosso conhecimento. Nossa direção para realizar novas descobertas e lidar com novas fronteiras continua a melhorar a vida para as pessoas em todo lugar e ampliar o número de realizações da humanidade.”

A proposta continua financiando o Telescópio James Webb (impressão artística acima), que se espera ser lançado em 2018. Crédito: NASA

Isto certamente no representa os números finais que a NASA gostaria de receber. Por exemplo, para o requerimento orçamentário do ano fiscal de 2013, a NASA pediu 17,711 bilhões de dólares, mas com cortes e confiscos o número final ficou em uns 16,6 bilhões.

O orçamento proposto para 2014 inclui financiamento para o programa em andamento de voo espacial humano na ISS (Estação Espacial Internacional), assim como a continuação da construção do foguete do Sistema de Lançamento Espacial (Space Launch System) e da cápsula do espaço profundo Orion. A NASA espera um voo não tripulado no máximo por volta de 2017 e um tripulado até 2021.

Ele também continua financiando o Telescópio Espacial James Webb – James Webb Space Telescope – (esperado para ser lançado em 2018), mas corta o financiamento para as ciências planetárias – uma das áreas de maior sucesso da NASA – em 272 milhões de dólares. No entanto, ele inclui 100 milhões destinados para o programa de detecção de asteroides, que foi adicionado ao orçamento das Ciências Planetárias. Inclui também financiamento para outro veículo com controle remoto (rover) para Marte similar ao Curiosity, esperado para ser lançado em 2020.

Em uma manobra interessante, o orçamento propõe consolidar os programas de educação e consolidação da NASA com a Fundação Nacional de Ciências dos EUA (National Science Foundation), o Departamento de Educação (Department of Education) e o Instituto Smithsonian (Smithsonian Institute). A consolidação da STEM (sigla em inglês para ciência, tecnologia, engenharia e matemática) é outra história de sucesso da NASA, mas aparentemente parte do orçamento educacional da NASA irá para outras agências como parte de uma reestruturação completa do STEM no governo.

Aqui estão os destaques da proposta orçamentária de 2014 para a NASA:

    • Ao fazer escolhas difíceis, a NASA diz que este orçamento reforça a presente pasta ministerial equilibrada da agência no desenvolvimento na aeronáutica, espaço e tecnologia, ciências do espaço e da Terra, o desenvolvimento de foguetes e cápsulas para levar exploradores mais distante no espaço e o uso de parceiros comerciais inovadores para o transporte de tripulação e carga para a Estação Espacial Internacional.
The proposal includes funding a new Mars rover similar to Curiosity. Above is a self-portrait of NASA’s Mars Curiosity Rover, currently on Mars. It includes a sweeping panoramic view of its location in the Yellowknife Bay region of Gale Crater. Credit: NASA, JPL-Caltech, MSSS – Panorama by Andrew Bodrov
  • Inclui financiamento necessário para desenvolver uma capacidade para Tripulação Comercial, com a intenção de apoiar uma nova indústria que recupera a capacidade de enviar astronautas estadunidenses para o espaço a partir de solo dos EUA e encerra a necessidade de pagar para provedores estrangeiros para transportar os astronautas para a Estação Espacial Internacional.
  • Aumenta o investimento em tecnologias espaciais, como propulsão avançada para o espaço e o armazenamento de propelentes espaciais, que são necessários para aumentar as capacidades dos EUA no espaço, reduzir o custo da exploração espacial e pavimentar o caminho para outras atividades do Governo Federal e espaciais comerciais.
  • Financia completamente o foguete de cargas pesadas do Sistema de Lançamento Espacial e o Veículo Tripulado Multi-Propósitos Órion, dois elementos-chave para ampliar as fronteiras da exploração espacial humana. Este nível de financiamento permitirá um teste de voo da Órion em 2014 e o do Sistema de Lançamento Espacial em 2017.
  • Mantém o desenvolvimento do Telescópio Espacial James Webb, o mais poderoso e sucessor do Telescópio Espacial Hubble a caminho do lançamento em 2018
  • Provém mais de 1,8 bilhões de dólares para as Ciências da Terra para renovar o programa Landsat, desenvolver sensores climáticos para o Sistema Conjunto de Satélites Polares (Joint Polar Satellite System) e conduzir outros numerosos esforços de pesquisa e em satélites.
  • Começa a trabalhar em uma missão para se encontrar com – e depois mover – um pequeno asteroide. Astronautas irão depois visitar o asteroide e trazer amostras para a Terra, alcançando um dos maiores objetivos da agência de uma maneira mais custo-eficiente.

Sobre a missão do asteroide Bolden disse: “Esta missão representa um destino tecnológico sem precedentes que irá levar a novas descobertas científicas e capacidades tecnológicas e ajudar a proteger nosso planeta natal. Esta iniciativa do asteroide junto o melhor da ciência, tecnologia e esforços de exploração humana da NASA para alcançar o objetivo do presidente de enviar humanos a um asteroide até 2025. Usaremos as capacidades existentes como a cápsula tripulada Órion e o foguete do Sistema de Lançamento Espacial (SLS) e desenvolver novas tecnologias como propulsão elétrica solar e comunicações a laser – todos componentes críticos para a exploração espacial profunda.”

  • Continua o importante papel da agência na pesquisa aeronáutica da nação e desenvolvimento da pasta ministerial, incluindo uma nova iniciativa para fazer materiais de compostos mais leves e mais facilmente utilizáveis na aviação.
  • Fundos de pesquisa na Estação Espacial Internacional, identificando a eficiência nas operações e suporte de voo espacial.
  • Consolida 47,5 milhões de pequenos programas de educação em ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM) por toda a NASA em programas maiores em outras agências para alcançar o melhor retorno sobre o investimento, enquanto atinge metas tangíveis do governo nos objetivos de educação em STEM. O orçamento reserva 67,5 milhões de dólares para a outorga espacial e as observações e aprendizado globais para beneficiar os programas ambientais da NASA, assim como programas de educação chave a serviço de minorias e realoca um adicional de 26,8 milhões de dólares de outros programas de educação e avanço científico para facilitar a maior aplicação de seus melhores recursos educacionais em coordenação próxima à Fundação Nacional de Ciências dos EUA e o Departamento de Educação e o Instituto Smithsonian.

 


 

O Próximo Orçamento da NASA Avança a Liderança dos EUA no Espaço e na Ciência.
A requisição da NASA para o ano fiscal de 2014 do Presidente Obama é um investimento de 17,7 bilhões de dólares no futuro de nossa nação. O orçamento da NASA assegura que os EUA permanecerão o líder mundial na exploração espacial e descoberta científica pelos próximos anos, enquanto faz críticos avanços na aeronáutica e na ciência aeroespacial para beneficiar o povo estadunidense. Crédito: NASA. Publicado em 10 de abril de 2013.


A publicação de matérias ou outro conteúdo terceirizado não significa endosso ou filiação de qualquer tipo.

This story was originally published in English

Publication of press-releases or other out-sourced content does not signify endorsement or affiliation of any kind.